quinta-feira, 13 de agosto de 2015

DIZIMO É DA LEI OU DA GRAÇA? AFINAL DEVEM OU NÃO OS CRISTÃOS DAR O DIZIMO?

O DÍZIMO E A LEI DE MOISÉS

              O dízimo é dez por cento (10%) de toda renda, que biblicamente pertence a Deus. É uma prática antiga realizada por todos os que temem a Deus segundo as Escrituras. A primeira vez que ele aparece na Bíblia é em Gênesis 14:18-21, quando Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, rei de Salém: "E Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho e o abençoou, dizendo: Bendito seja Abraão do Deus Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra, e bendito seja Deus Altíssimo que entregou teus inimigos em tuas mãos. Abraão deu o dízimo de tudo”.
Nesta ceia foi feita uma aliança, pois aliança é feita sempre por duas partes, as duas partes tem que ser fiel, se uma é infiel a aliança deixa de existir. É como o casamento, ninguém se casa sozinho, tem que haver as duas partes. Abraão tomou a santa ceia, aceitou o compromisso e expressou a sua fidelidade, deu a sua parte na aliança que foi o dizimo. A ceia é dada como parte de Deus na aliança e o dizimo é dado pela parte do homem, logo se não há o dizimo, expressão da fidelidade, obediência, uma parte esta incompleta, então não há aliança.
Mas como explicarmos este pacto no novo testamento? Como provarmos que Abraão realmente tomou a ceia, se Jesus Cristo não havia ainda vindo neste mundo? Como transpor esta aliança de sangue para os dias atuais, no tempo da graça?
Primeiro, Abraão não estava no tempo da lei, pois a lei veio por Moisés, centenas de anos depois.
Segundo, Melquisedeque representava a Cristo, ou podia ser até Ele mesmo, há um mistério aí. Jesus não havia vindo ao mundo, mas ele já existia, pois sempre existiu( Luc.1:1-3). A bíblia diz que Ele viu a Abraão (João 8:56-59). A bíblia diz que Melquisedeque não tinha genealogia, nem pai nem mãe, nem principio de dias, mas feito semelhante ao filho de Deus (Heb.7). Mas independente disso a verdade  é que Jesus disse que o pão é o seu corpo e o vinho o seu sangue, isto é um fato, e sua palavra afirma que Jesus é sumo sacerdote da ordem de Melquisedeque (Luc 22:19; I Cor.10:16; 11:25-27; Heb 7).
Terceiro, a bíblia diz que quem é de Jesus é descendente de Abraão, por isso nós somos filhos de Abraão pela fé em Cristo e herdeiros da promessa.(Gal.3:7-9, 29)


Por tanto se Melquisedeque entregou a ceia e recebeu o dizimo de Abraão, e se nós somos descendência dele precisamos de um Melquisedeque, Jesus é nosso Melquisedeque, que já veio e deu o seu corpo e seu sangue, fazendo conosco uma nova aliança, a qual nós participamos.
Freqüentemente tem aparecido pessoas que insistem em dizer que o dízimo é parte da Lei do Antigo Testamento e não uma exigência para os crentes de hoje que estão debaixo da Graça e não da Lei. Mas, como demonstrado nestes versículos acima, não é bem assim. O dízimo é anterior à lei. O fundamento do dizimo não é a Lei, e sim a Fé. Quem é o primeiro homem a oferecer o seu dízimo nas Escrituras Sagradas? Abraão.
“Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão.” (GL 3:7)
Se os que têm fé são filhos de Abraão, podemos dizer que as escrituras dizem que Abraão é o pai dos que têm fé. Abraão não deu seu dízimo por que a Lei ordenava como a vimos, nem existia ainda. Ele deu seu dízimo por que tinha fé. Porque cria que Deus era a fonte de tudo em sua vida. Glória Deus! Este é um princípio tremendo para as nossas vidas.
Trazer o seu dízimo a casa de Deus é um ato de gratidão, de amor e reconhecimento, por tudo que ele te tem feito. Ele deu o seu corpo e o seu sangue por você. “O Rei Justo te trouxe pão e vinho!” Os que são da fé são dizimistas, porque acreditam que Deus é o seu sustentador e não sentem dificuldade em dizimar a Ele. Abraão deu o seu dízimo muito antes que ele fosse inserido na Lei de Moises.
Quando entregamos os nossos dízimos nós estamos levando todos os nossos bens para dentro da vontade de Deus. Estamos dizendo que Deus é o nosso provedor, a fonte da qual bebemos. Abraão  sem dúvidas nos deixou um legado espiritual fantástico. Abraão compreendia essas coisas, e as praticava de todo coração. Veja Gn.13. 7 a 13.


QUAL É O VERDADEIRO SIGNIFICADO DO DÍZIMO? PORQUE NÓS ENTREGAMOS?

O dízimo é para reconhecer que Deus é o Senhor de todas as coisas. Quando alguém dá o seu dízimo reconhece que Deus é o Senhor, não só o Senhor de sua vida, mas também do que produz. O significado mais profundo do dízimo é que todos (100%) pertencem a Deus.
Todos (100%) pertence a Deus; entregamos 10% para que possamos ter o privilégio de usar os outros 90%. O Senhor disse: "Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo ea sua plenitude” “por acaso eu tenho que comer a carne de touros, ou beber sangue de bodes?” “Ofereça a Deus ações de graças, cumpra seus votos para com o Altíssimo, e invoca-me no dia da da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás ". (Salmo 50: 12-15). Em outras palavras, Deus deixa claro que, se ele precisasse de dinheiro não nos pediria pois tudo pertence a Ele! O propósito do dízimo não era para consagrar a colheita, mas sim "desconsagrarla". Porque tudo o que pertence a Dio, até que a primeira parcela, o dízimo, fosse oferecido e aceito em vez dos 100%. Só depois de fazer isto o homem poderia usar os outros 90% para si. O dízimo representa o Primogênito de Deus, Jesus Cristo, o Filho do Altíssimo, que foi dado aos homens por Deus, para assim resgatá-los para Ele.
Deus instituiu não somente os dízimos, mas como também as ofertas para o sustento da sua obra (Malaquias 3.0,10). Os templos de hoje assim como no passado são sustentados com contribuições voluntarias, a obra de Deus, seja social, seja evangelismo, sejam missões, são tudo custeados através dos dízimos e ofertas. Dentro de uma igreja todos somos beneficiados através desta contribuição voluntaria, ao entrar no templo, se ele está aberto o aluguel foi pago, ou houve uma construção que foi paga, na luz, no som, no banheiro ao usar a água, no bebedouro, em programas de rádio, TV, transmissões pela internet e etc, tudo isso é fruto dos dízimos e ofertas voluntárias. Quando alguém se nega a dar seu dizimo, se beneficia dos dízimos de outros. Seria justo se beneficiar de tudo isso e não fazer a própria parte colaborando com a obra?




JESUS CANCELOU O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO?

Claro que não. A prática do dízimo existe desde a Criação, muito antes da lei de Moisés, e não foi revogada por Jesus. Abraão pagou dízimos, Abel pagou dízimos, e todos viveram antes da Lei de Moisés.

O Senhor Jesus disse aos fariseus : "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei: a justiça, a misericórdia e a fé; faça estas coisas sem omitir aquelas "(Mateus 23:23). Os fariseus deram o dízimo até mesmo das ervas, mas negligenciando outros assuntos mais importantes exigidos por lei. Nesse versículo, Jesus não só aborda a questão do dízimo, mas também a justiça e o amar a Deus e o proximo. Em outras palavras: Muitos dão o dízimo e tem um sentimento de ódio ou rancor contra alguém, e acha que o dízimo vai cobrir seu pecado. Não, não vai. O dever dos cristãos não é apenas de pagar seus dízimos fielmente, mas também  amar o próximo, perdoar.


MAS O QUE QUE É ISSO?

É fato que muitas igrejas utilizam de forma errada o dizimo, em todas as religiões e profissões existem pilantras, mas dizer que todas as igrejas o fazem de forma errada é uma especulação tendenciosa, pois ninguém conhece o trabalho de todas as igrejas verdadeiramente a não ser Deus. Acaso você leitor conhece todas as igrejas evangélicas do Brasil? Conhece todos os pastores para dizer que são todos ladrões? Não.  O fato de apontar os erros de muitas igrejas no que se diz a respeito do dizimo e ofertas para não dar o dizimo é apenas uma desculpa para não contribuir. Se tal igreja aplica o dizimo de forma errada então procure aquela que o faça corretamente.
Ninguem é obrigado a dar o dizimo ou ofertas, isso sempre será um ato de fé e voluntario. Se existem igrejas que obrigam ou constrangem seus fieis a darem o dizimo, isso é um problema dessas igrejas e não da pratica do dizimo. Se alguns não querem praticar tal ato, amém, é um direito de cada um. Mas tentar impedir que outros o façam através da deturpação das escrituras e dos fatos é lutar contra Deus, é ser uma pedra de tropeço na obra de Deus.
As igrejas evangélicas são as instituições que mais recuperam pessoas e restauram vidas neste país, a obra de Deus está sendo feita e aqueles que agem com interesses financeiros prestarão contas com o dono desta obra. Cabe a cada um de nós examinarmos e escolhermos a igreja que trabalha conforme o evangelho.


2 comentários: